RONCO E APNÉIA DO SONO

RONCO E APNÉIA DO SONO

Uma nova possibilidade de trabalho vem se abrindo na Odontologia através do tratamento de distúrbios que afetam entre 2 a 4% das mulheres adultas e 4 a 9% dos homens adultos: o ronco e a apnéia obstrutiva do sono. Até agora objetos de atenção exclusiva dos médicos, estes problemas vêm recebendo uma nova abordagem através dos dispositivos intra-orais, cuja indicação e aplicação cabe aos dentistas.

A apnéia do sono obstrutiva é a obstrução completa das vias aéreas pelo colapso dos tecidos da orofaringe, palato mole e dorso da língua, que acontece por cerca de dez segundos, de cinco a dez vezes por hora, durante o sono dos indivíduos que sofrem com o problema.

Já a hipopnéia é uma obstrução parcial, que bloqueia a passagem do ar em pelo menos 50% durante o sono em cada episódio. Quando o tônus dos tecidos da orofaringe e da língua diminui, eles se aproximam, bloqueando a passagem do ar. Além dos transtornos sociais e psicológicos, o ronco e a síndrome da apnéia ou hipopnéia do sono obstrutiva podem trazer conseqüências físicas para seus portadores.

O paciente apnéico tem em torno de três vezes mais chance de sofrer de hipertensão, arritmias cardíacas e enfarto. Além disso, a sonolência diurna excessiva causada pela má qualidade do sono desses pacientes é responsável por um aumento em torno de sete vezes nas chances de acidentes de trânsito e no trabalho.

Procurando melhorar a qualidade de vida do profissional a o Odontologia já disponibiliza para seus pacientes dispositivos intra-orais(aparelhos) que são indicados principalmente nos casos de apnéias leves e moderadas, em pacientes retrognatas e naqueles que não estão muito acima do peso

Galeria

Fonte: Texto e imagem retirados da Clínica Dr. Veit – Odontologia & Saúde